Blog do Eliomar

29 resultados encontrados para Parque Rachel de Queiroz

Presidente do Instituto dos Arquitetos sugere concurso de ideias para o Parque Rachel de Queiroz

Do presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, regional do Ceará, Custódio Santos, recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar de Lima,

Como leitor diário de sua coluna e Blog, li a excelente notícia de que, afinal, este importante Parque Rachel de Queiroz vai sair do plano das ideias e virar realidade. A cidade tanto precisa de espaços públicos de qualidade.

Aproveito para sugerir ao prefeito Roberto Cláudio a realização de um concurso público nacional de projetos para este parque, aos modelos que foram realizados para Beira Mar, Parque do Coco e, por último, o Monumento da Luz, em Sobral.

Abraços

*Custódio Santos

Presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil Departamento do Ceará.

Prefeito dá pontapé inicial do Parque Rachel de Queiroz

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) vai receber, às 11 horas de hoje, no Paço Municipal, o gerente setorial de Desenvolvimento Urbano para América Latina e Caribe do Banco Mundial, Ming Zhang. Hora de tratar sobre ações iniciais do Programa Fortaleza Cidade Sustentável (FCS), um pacote voltado especialmente para o meio ambiente.

Nesse pacote, a requalificação do Parque Rachel de Queiroz, com 200 hectares de áreas que perpassam 14 bairros. As intervenções contemplarão limpeza, dragagem, recuperação de mata ciliar e do rio, bem como a construção do parque urbano com calçadão, ciclovia, área de lazer e pontes para travessia.

Essa requalificação, assim como os demais projetos do FCS, será financiada pelo Banco Mundial, valor já aprovado pelo Senado na ordem de US$ 73,3 milhões.

(Foto – Divulgação)

Prefeitura e UFC firmam termo de cooperação para implantação de nova etapa do Parque Rachel de Queiroz

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), vai assinar, às 10h30min desta segunda-feira, um termo de cooperação com a Universidade Federal do Ceará. O objetivo é garantir novas etapas de implantação do Parque Rachel de Queiroz. O ato ocorrerá a partir das 10h30min, no auditório da reitoria da UFC.

Com Roberto Cláudio estará a secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz. Os novos trechos do Parque Rachel de Queiroz estão localizados no Campus do Pici.

O termo de cooperação possibilitará a implantação dos trechos oito, nove e 10, do Parque Rachel de Queiroz, que é uma iniciativa inserida no Programa Fortaleza Cidade Sustentável (FCS).

(Foto – Aurélio Alves)

Parque Rachel de Queiroz terá trechos em área do Campus do Pici

O projeto do Parque Rachel de Queiroz, que terá três trechos passando pelo Campus do Pici, foi apresentado, na tarde desta quinta-feira (29), ao reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry de Holanda Campos. Ele recebeu, em seu gabinete, Águeda Muniz, secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente, e sua equipe. Duas representantes do Banco Mundial também participaram do encontro. A informação é da assessoria de imprensa da UFC.

Henry Campos garantiu que a UFC tem grande interesse em colaborar com a implantação do parque por acreditar que trará benefícios à área da Instituição por onde for implantado. Observou, no entanto, que alguns pontos devem ser analisados pelas duas partes, tais como a despoluição do Açude Santo Anastácio, a comunidade de 61 famílias instaladas em terras da Universidade e o gradil a ser edificado ao longo do riacho do Centro de Ciências Agrárias.

A secretária Águeda Muniz se comprometeu a preparar uma minuta do acordo de cooperação entre Prefeitura e UFC, detalhando as demandas da Universidade, a fim de que seja analisada pelo Conselho Universitário.

Também participaram da audiência o Prof. Marcus Vale, diretor da Seara da Ciência, acompanhado do colaborador, o astrônomo Demerval Carneiro. Eles fizeram exposição da proposta de um planetário em algum ponto no qual o Parque Rachel de Queiroz fará interseção com o Campus do Pici. A ideia é reproduzir o sistema solar com todos os planetas, com distâncias e tamanhos proporcionais, bem como instalar telescópios newtonianos ao longo do parque.

O Parque

O Parque Rachel de Queiroz será implantado nas áreas das Regionais I e III, que compreendem 14 bairros e cerca de 250 mil pessoas. O projeto tem 19 trechos (o trecho 4 já está implantado) e pela UFC passarão os de 8 a 10. Para Manuela Monteiro, técnica do Banco Mundial responsável pelo andamento do convênio entre a instituição financeira e a Prefeitura, o projeto do parque é “fácil de apoiar” pela abrangência social e ambiental que representa. Ela admitiu que cada trecho “tem um DNA próprio que será respeitado”.

Uma nova reunião foi agendada para o dia 12 de julho, às 9 horas, com os diretores dos centros de Ciências Agrárias, de Tecnologia e de Ciências da UFC, na Superintendência de Infraestrutura e Gestão Ambiental, no Campus do Pici.

Projeto do Parque Rachel de Queiroz será atualizado

A Prefeitura de Fortaleza vai lançar, no início de abril, o edital para atualização do projeto do Parque Rachel de Queiroz, que é de 2003.
A informação é da secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz, acrescentando que o edital será aberto a todos os arquitetos do País, dentro do objetivo de concretizar de fato um parque que foi criado e regulamentado no dia 10 de janeiro deste ano pelo prefeito Roberto Cláudio (Pros).
O projeto objetiva unir preservação do meio ambiente com o direito do cidadão de aproveitar o local através do lazer, pontos de ginástica, ciclovias e calçadões. O Parque Rachel de Queiroz ocupa uma área de 260 hectares, de acordo com a secretária, que espera torná-lo realidade ainda neste ano.
Tomara.
(Coluna Vertical, do O POVO)

Prefeitura manda nota sobre Parque Rachel de Queiroz

392 4

Sobre a licitação do futuro Parque Rachel de Queiroz, promessa da gestão atual municipal cobrada neste Blog por Aguinaldo Aguiar (Movimento Pró-Parque) – com local virando rampa, recebemos a seguinte nota da Secretaria Regional III:

Caro Eliomar de Lima, 

Realmente o projeto e licitação estão prontos, aguardando apenas e liberação da Secretaria de Planejamento e Orçamento (SEPLA), para iniciar a obra. 

A Regional III mantém, diariamente, a limpeza do espaço de onde são retiradas seis toneladas de lixo por dia, de acordo com o setor de Limpeza Urbana.

Atenciosamente,

Felipe Sampaio
Emanuel Santos
Assessor de Comunicação
Secretaria Executiva Regional III.

Cadê o Parque Rachel de Queiroz, Prefeita?!

De Aguinaldo Aguiar, do Movimento Pró-Parque Rachel de Queiroz, recebemos nota sobre uma campanha para pressionar a prefeita Luizainne Lins (PT) a concretizar o projeto. Confira: 

Caro Eliomar de Lima,

A licitação do trecho 6 do Parque Rachel de Queiroz foi concluída há mais de 2 meses e os recursos estão garantidos no Orçamento do Município, mas a Prefeitura mandou enterrar o Parque.

É a segunda traição contra a cidade em menos de uma semana, pois no dia 24 de maio, a prefeita e seu lider na Câmara Municipal comandaram uma ação que mudou o Plano Diretor e limitou profundamente as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), uma das maiores conquistas da luta pelo direito à cidade.

* Aguinaldo Aguiar,

Pela coordenação do Movimento Pró-Parque Rachel de Queiroz.

Parque Rachel de Queiroz – Prefeitura recebe propostas

A Comissão de Licitações da Prefeitura de Fortaleza realizará, a partir das 9 horas desta quarta-feira, em sua sede, a licitação do projeto do Parque Rachel de Queiroz (trecho 6 – área verde do bairro Presidente Kennedy).

Na ocasião, serão recebidas as propostas das construtoras.

A comunidade do bairro espera que a implantação do parque garanta a preservação do riacho alagadiço/cachoeirinha.

SERVIÇO

* Comissão de Licitações – Rua do Rosário, 77 – Edifício Vital Rolim – Sobreloja e Terraço.

Parque Natural das Dunas de Sabiaguaba continua na saudade

 

Da Coluna Vertical deste sábado, no O POVO:

É estranho o descaso da Prefeitura de Fortaleza quanto o mote é o Parque Natural Municipal das Dunas da Sabiaguaba. Se comparada a disponibilidade em relação ao Parque Rachel de Queiroz, lembra aquela mãe que prioriza um filho em detrimento dos outros.

E ótimo que o Rachel de Queiroz seja bem cuidado, tenha holofotes e seja utilizado pela população. Tanto que o equipamento recebeu menção honrosa da ONU por gestão sustentável.

Ainda bem que Roberto Cláudio e Águeda Muniz (Seuma) não inscreveram o Parque da Sabiaguaba para concorrer à mesma comenda. Passariam vexame por conta do que acontece (ou não acontece) na maior coleção de dunas da Capital.

Na última semana, Águeda Muniz, representantes do Banco Mundial e o reitor Henry Campos (UFC) discutiram a inclusão de áreas do Campus do Pici no Parque Rachel de Queiroz. Bem que poderiam incluir nesse pacote o Parque da Sabiaguaba.

Movimento Pró-Parque denuncia agressão ambiental

unnamed (56)

Na manhã deste domingo, um dia após a Prefeitura de Fortaleza entregar o primeiro trecho do Parque Rachel de Queiroz – Bosque do Bem, no bairro São Gerardo, máquinas apareceram destruindo a vegetação da área verde do bairro Presidente Kennedy.

O terreno, de frente para a Rua Frei Odilon, segundo o Movimento Pró-Parque, está dentro da área de preservação do riacho Alagadiço e, de acordo com a legislação, não pode ter nenhuma construção. 

Há tempos o Movimento Pró-Parque Rachel de Queiroz denuncia na Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Urbanismo (Seuma) a existência de um muro cercando o terreno.hel de Queiroz

Ambientalistas propõem criação de parque no Campus do Pici

“Ambientalistas defendem a criação do Parque Urbano Rachel de Queiroz, nas proximidades do Campus do Pici. Segundo dados do Inventário Ambiental, a área conta com 254 hectares e seria uma alternativa para reduzir o déficit ambiental da zona oeste de Fortaleza. O arquiteto José Sales diz que não entende a razão de a Prefeitura ainda não ter regulamentado o espaço. “Já existe, inclusive, um projeto que prevê o aproveitamento da área, que possui 12Km de extensão e beneficiaria uma população de 420 mil habitantes”, indica.

Segundo Sales, enquanto isso não ocorrer, a região continuará sendo agredida pela especulação imobiliária, ocupações irregulares, lixo e falta de consciência ambiental.De acordo com João Alfredo, a efetivação da área verde garantirá uma cadeia de 15 parques urbanos, que fazem parte da Sub Bacia do Riacho Alagadiço e incluem o Aaçude João Lopes, Riacho Alagadiço, Açude Santo Anastácio e Riacho Cachoeirinha até o Rio Maranguapinho, percorrendo 21 bairros, da Zona Oeste de Fortaleza. como Monte Castelo, São Gerardo, Alagadiço, Ellery, Presidente Kennedy, Parquelândia, Bela Vista, Henrique Jorge, Pici e Parque Genibaú.

“Há mais de quatro anos que moradores da região lutam pela criação do parque”, através do Movimento Pró Parque Rachel de Queiroza, acrescentando que, com o parque, a cidade estará dotada de um importante equipamento urbano, ambiental e histórico. A idéia do projeto existe desde 1995.”

(Diário do Nordeste)

U$ 73 milhões – Roberto Cláudio garante dinheiro do Programa Fortaleza Cidade Sustentável

235 1

Cerca de 5 anos após o início da negociação, o prefeito Roberto Cláudio assinou nesta quarta-feira (5), em Brasília, o contrato de empréstimo de U$ 73 milhões, cerca de R$ 300 milhões em câmbio atual, junto ao Banco Mundial (BIRD), que deverá garantir a implantação do Programa Fortaleza Cidade Sustentável.

O empréstimo deverá solucionar problemas históricos da cidade, relacionados ao desenvolvimento socioeconômico, urbano e ambiental, garantindo sustentabilidade. Os investimentos ocorrerão em áreas que possuem grandes adensamentos com baixos índices de IDH e elevados níveis de degradação ambiental, mas que são capazes de oferecer retorno mais rápido.

O programa permite melhorias no ambiente natural e também no ambiente construído de Fortaleza, por meio da execução de uma série de ações, como a implantação do Parque Rachel de Queiroz, que deverá beneficiar o segundo maior parque ambiental do município.

Roberto Cláudio destacou a importância do financiamento porque representa o primeiro na história de Fortaleza para a área do meio ambiente.

“Graças ao empenho da nossa equipe da Prefeitura e do próprio Banco Mundial, estamos concretizando uma conquista histórica para a cidade de Fortaleza“, destacou o prefeito.

(Foto: Divulgação)

Prefeito Roberto Cláudio assina nesta quarta-feira contrato de US$ 73,3 milhões com Banco Mundial

580 7

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) vai assinar, às 18 horas desta quarta-feira, em Brasília, o contrato de empréstimo com o Banco Mundial, na ordem de US$ 73,3 milhões. Os recursos fazem parte do Programa Fortaleza Cidade Sustentável, informa a secretária de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza, Águeda Muniz, que também participará do ato, na sede da Instituição financeira internacional.

Com isso, Fortaleza terá o maior investimento de sua história para promover a integração do ambiente natural e do ambiente construído, impactando de forma positiva na saúde ambiental e na segurança urbana da população, garante Águeda Muniz.

O Programa Fortaleza Sustentável reúne uma série de iniciativas como o projeto Águas da Cidade, que melhora a balneabilidade da orla marítima e a requalificação do Parque Rachel de Queiroz.

(Foto – Divulgação)

Roberto Cláudio apresenta neste sábado projeto de requalificação no bairro São Gerardo

455 1

O prefeito Roberto Cláudio, acompanhado da secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz, visita na manhã deste sábado (27), a partir das 9 horas, o Parque Rachel de Queiroz, no bairro São Gerardo. A ideia é percorrer essa área verde da Cidade que terá sua requalificação iniciada no segundo semestre.

Roberto Cláudio apresentará à comunidade as melhorias propostas para 10 trechos do Parque, localizados entre o açude João Lopes e o Campus do Pici Professor Prisco Bezerra, da Universidade Federal do Ceará (UFC), que serão implantadas por meio do Programa Fortaleza Cidade Sustentável (FCS).

O programa é o maior pacote de ações voltadas especialmente para o meio ambiente em Fortaleza. A iniciativa reúne uma série de projetos que significarão avanços importantes. Uma das principais iniciativas do programa é a requalificação do Parque Rachel de Queiroz, com 200 hectares de áreas que perpassam 14 bairros. As intervenções contemplarão limpeza, dragagem, recuperação de mata ciliar e do rio, bem como a construção do parque urbano com calçadão, ciclovia, área de lazer e pontes para travessia.

A requalificação do Parque Rachel de Queiroz, assim como os demais projetos do FCS, será financiada por meio da contratação de operação de crédito externo com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD – Banco Mundial), já aprovado pelo Senado Federal, no valor de US$ 73,3 milhões. De acordo com o prefeito Roberto Cláudio, além de ser o primeiro financiamento da história de Fortaleza junto ao BIRD, este é também o primeiro específico para a área ambiental e de sustentabilidade. “São obras que vão impactar positivamente o meio ambiente da Cidade e que certamente representarão uma grande inovação social e urbanística”, ressaltou.

(Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Fortaleza)

Secretário fala da irmã do sol e do mar: Fortaleza

Com o título “Fortaleza, irmã do sol e do mar”, eis artigo de Artur Bruno, secretário estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade. Ele comemora os 293 anos desta loira desposada do sol. Confira:

Após 293 anos, é importante lembrar que Fortaleza tem, desde sua origem, um forte vínculo com a natureza. O lugarejo nasceu em meio à riqueza ambiental da Barra do Ceará, com seu Centro crescendo às margens do riacho Pajeú, disputando a condição de Vila com Aquiraz, nas proximidades do rio Pacoti.

A cidade tornou-se metrópole espalhando prédios e habitantes entre os rios Ceará e Pacoti, banhada pelo rio Cocó, cuja bacia abrange dois terços de sua área. A beleza de suas dunas e praias ganhou o Brasil e o mundo. Suas diversas lagoas eram parte visível e característica de sua constituição. Expandiu-se para o arborizado Benfica e depois para a Aldeota e os largos espaços de seus sítios.

Por sua vez, o hino da cidade refere-se diversas vezes aos aspectos do ambiente e de nossa gente. “Irmã do sol, irmã do mar”, diz o refrão, com lembrança de coqueiros, do céu, da flor, e de personagens de sua história, como jangadeiros, caboclos e escravos.

Porém, a desordem do progresso de Fortaleza, com uma ocupação sem critério em áreas de risco e a especulação imobiliária, resultou em desmatamento sem controle, aterramento das lagoas e desrespeito às áreas verdes. O inchaço da cidade prejudicou a ambiência de seus moradores.

As boas novas são as ações de recuperação deste imenso passivo ecológico. O governador Camilo Santana, confirmando sua veia ambientalista, regularizou o Parque Estadual do Cocó – no lado leste da cidade -, criou a Área de Proteção Ambiental do Ceará-Maranguapinho, assim como a Área de Relevante Interesse Ambiental do Cambeba. A prioridade é a proteção das matas ciliares próximas aos nossos recursos hídricos. O prefeito Roberto Cláudio, por sua vez, contemplando o lado Oeste, está instalando o Parque Rachel de Queiroz, segunda maior área verde do município. Além disso, parte do litoral de Fortaleza, vítima de ligações de esgotos irregulares, em especial a Beira-mar, será limpa e remodelada com recursos de um empréstimo de R$ 280 milhões obtidos junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina.

No seu aniversário, minha maior esperança é ver nossa Fortaleza com o retorno do esplendor do seu verde e seus mananciais recuperados.

*Artur Bruno,

Secretário Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade.

(Foto – Arquivo)

Fortaleza: de pequena vila à metrópole nacional

Com o título “Fortaleza: de pequena vila à metrópole nacional”, eis artigo do secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno, contando um pouco da trajetória histórica desta “loira desposada do sol”, que chega aos seus 292 aninhos. Confira:

Fortaleza foi a segunda localidade do Ceará a ser alçada ao status de vila, em 1726, depois de Aquiraz. Virou cidade e capital da Província em 1823, quando os centros econômicos e políticos do Estado, à época, eram Icó e Aracati. Em 1900, nossa cidade tinha pouco mais de 50 mil habitantes. Com crescimento desordenado e sem planejamento, os fortalezenses viram o “inchaço” demográfico criar impactos sociais negativos.

Mas o viço econômico, as belezas naturais e a localização geográfica lhe fizeram tomar, aos poucos, o lugar de metrópole. Fortaleza já é um hub aéreo e tecnológico consolidado. O Aeroporto Internacional Pinto Martins incrementou seu movimento em milhões de pessoas. O cabeamento em fibra ótica partindo da sua orla marítima fez da Capital cearense um polo de distribuição de dados para todo continente americano.

Afirmando-se como um centro de serviços, destacando-se nas áreas do comércio e turismo, Fortaleza atrai negócios e lazer de todo Brasil.

Num futuro próximo, quando o terminal de passageiros do Mucuripe estiver 100% apto, deverá galgar o posto de hub marítimo também.

O prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana estão atentos a este contexto. O programa “Juntos por Fortaleza” prepara a capital para crescer de forma sustentável. Investimentos em mobilidade urbana e urbanização são feitos de forma planejada. O “Fortaleza 2040” e o “Ceará 2050” são instrumentos fundamentais para pensar a cidade e projetar ações de forma qualificada.

O meio ambiente é parcela fundamental na humanização da cidade. A regulamentação do Parque do Cocó pelo governo estadual, uma luta de 40 anos – que começará a ter construídos espaços de esporte, lazer, educação ambiental e contemplação – foi um ganho incomensurável. A criação do Parque Rachel de Queiroz pela Prefeitura, beneficiando o lado Oeste, é outro passo gigantesco.

O desafio de Fortaleza é acolher cada vez melhor. As intervenções urbanas miram este objetivo. Nos seus 292 anos, a aposta é de que Fortaleza cresça em tamanho e também em responsabilidade social.

*Artur Bruno

artur.bruno@sema.ce.gov.br

Secretário do Meio Ambiente do Ceará

Prefeito fecha mais um empréstimo em Brasília

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), trata, nesta quarta-feira, em Brasília, com o Banco Mundial, de um empréstimo na ordem de US$ 75 milhões (cerca de R$ 220 milhões).

A verba é para ser aplicada em projetos da área ambiental como a urbanização do Parque Rachel de Queiroz  e ações pró-balneabilidade da orla da cidade. Ele diz que será o primeiro empréstimo que a gestão municipal fechará com o Banco Mundial.

Ainda na agenda, contatos na Secretaria do tesouro Nacional e no Ministério da Fazenda.

Festival de Marchinhas Carnavalescas terá grande final neste domingo

Será neste domingo, 21/01, a partir das 10 horas, no Polo de Lazer da Sargento Hermínio (Parque Raquel de Queiroz), a grande final do Festival de Marchinhas Carnavalescas Lauro Maia. As doze finalistas da segunda edição do evento se apresentarão mais uma vez ao público e a um júri, dentro de um baile carnavalesco com a participação especial de Calé Alencar, que vai interpretar canções de Lauro Maia.

O festival Lauro Maia acontece pela segunda vez e é realizado pela Associação Comunitária dos Bairros Ellery e Monte Castelo (ACEM) em parceria com o Bloco Pré-Carnavalesco Sai na Marra e o Movimento Pró-Parque Rachel de Queiroz. O objetivo é revitalizar a tradição carnavalesca de Fortaleza, promovendo a integração entre músicos, intérpretes e compositores, ocupando os espaços públicos com música de qualidade.

Ao todo, foram inscritas 46 marchinhas vindas de diversos municípios da Região Metropolitana de Fortaleza. Dessas, doze foram selecionadas por um júri e estão na final.

Confira as 12 marchinhas selecionadas

01 – Maria da Legião I Autor: Mário Augusto I Intérpretes: Mário Augusto e Gleyce Costa

02 – Vampiro, cueca e outras mazelas I Autores: Arievaldo Viana, Flávio Arruda e ‘Estrela Miúda’ I Intérprete: Ney Robson

03 – Temer Véi I Autor e intérprete: Fernando Barbosa

04 – Frevo do furico I Autor: Beto Menezes I Intérpretes: Beto Menezes, Alysson Lemos, Daniel Rocha, Junior Barreira, Magno Carvalho, Moisés Felipe, Murillo Ramos, Paula Yemanjá e Pedro Caleb(Pícaros Incorrigíveis)

05 – Perdas e danos I Autor: Agostinho de Sousa Filho I Intérprete: Júnior Pirão

06 – Luzirá I Autor e intérprete: Gil de Abreu

07 – Eu chupo até o palito I Autores: Silvina Ribeiro e Clayton Roncel I Intérprete: Silvina Ribeiro

08 – Carta de alforria I Autora: Lenice Ferreira I Intérprete: Dedê Falamais

09 – Uma forma de fé I Autor e intérprete: Paulo Gomes

10 – Pajaraca, eterno folião I Autor e intérprete: Aluisio Barreira

11 – Tributo a Irapuã Lima I Autor e intérprete: J Pinto

12 – Ó linda Fortaleza I Autores: Mateus Perdigão e Marcus Dias I Intérprete: Mateus Perdigão

Programação

10h – Baile carnavalesco com Bloco Sai na Marra

10h30 – Apresentação das finalistas

12h – Baile carnavalesco com participação especial de Calé Alencar interpretado composições de Lauro Maia

12h30 – Divulgação do resultado e premiação das vencedoras.

 

II Festival de Marchinhas Carnavalescas Lauro Maia está com inscrições abertas

O Festival de Marchinhas Carnavalescas Lauro Maia, uma promoção da Associação Comunitária dos Bairros Ellery e Monte Castelo, volta a dar o ar da graça e está com inscrições abertas para a sua segunda edição.  As inscrições são gratuitas e acontecem até o próximo dia 25 de novembro exclusivamente na página oficial do evento no Facebook www.facebook.com/FestivalLauroMaia ou no link: https://goo.gl/8K448g

O formulário de inscrição também pode ser solicitado pelo e-mail: (lauromaiafestival@gmail.com). O evento é uma parceria com o Bloco Pré-Carnavalesco Sai na Marra e o Movimento Pró-Parque Rachel de Queiroz. Serão escolhidas entre composições inéditas e originais as três melhores marchinhas e o melhor intérprete. Podem se inscrever compositores profissionais e amadores, de Fortaleza e Região Metropolitana. Cada participante pode inscrever até duas marchinhas, que devem ser enviadas com letra e áudio correspondente.

Uma comissão julgadora vai selecionar as dez melhores marchinhas, considerando a letra da música, a melodia e a harmonia, bem como a interpretação. O resultado dessa primeira fase será divulgado no dia 1º de dezembro de 2017. A lista das composições classificadas para a final será disponibilizada na página oficial do Festival no Facebook (www.facebook.com/FestivalLauroMaia).

As dez vencedoras desta primeira fase vão se apresentar na Final do Festival, no dia 21 de janeiro de 2018, às 10 horas da manhã, no Pólo de Lazer da Avenida Sargento Hermínio/ Parque Rachel de Queiroz, onde será realizado um baile de carnaval  com a apresentação das marchinhas ao público e ao corpo de jurados.

Prêmios

  • 1º. Lugar: Troféu Lauro Maia mais R$ 1.000,00 (hum mil reais)
  • 2º. Lugar: Troféu Antonio Nogueira da Silva (Bené) mais R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais)
  • 3º. Lugar: Troféu Ígor Andrade mais R$ 500,00 (quinhentos reais)
  • Melhor Intérprete: Troféu Nozinho Silva mais R$ 500,00 (quinhentos reais)

O nome do festival, Lauro Maia, é uma justa e emocionada homenagem ao tradicional carnaval de Fortaleza através de um de seus maiores nomes: Lauro Maia.